Posted on

Descubra como diferentes tipos de grãos de café podem impactar a experiência do consumidor

Tipos de grãos de café

Adoramos café. Ponto. Mas conhecemos todos os tipos de grãos de café? Bem, depende. Conhecemos todos aqueles que porventura temos o prazer em saborear ou pesquisar. Pois graças à constante mutação genética, natural ou em laboratório, há sempre novidades.

Claro que essas experiências levam o seu próprio tempo. Mas lembremos de um detalhe: Depois da água, o café é a bebida mais consumida no mundo!

Então mesmo que o Brasil seja o maior produtor neste lindo planeta azul, nada impede que a China esteja desenvolvendo seu produto, por exemplo. Ou qualquer outro país. Porque é bem possível que esteja mesmo.

No entanto, para nós do mercado brasileiro, há alguns tipos de grãos de café que são considerados especiais – ou popularmente chamados de gourmet – e que se destacam. Vamos a eles.

Tipos de grãos: Arábica ou Robusta?

Do princípio, há basicamente duas matrizes de grãos: Robusta e Arábica. Embora ambas sejam originárias da África, o tipo Robusta – ou também chamada de Canephora – continua sendo mais produzido no continente matriz e na Ásia Menor. Já o tipo Arábica gostou mais aqui dos trópicos, como Brasil e Colômbia.

Características entre os tipos Robusta e Arábica

Os tipos de grãos de café podem ser diferenciados visualmente também. Enquanto o tipo Robusta é mais arredondado e menor, o tipo Arábica é oval e levemente mais alongado.

Em termos de sabor, o Robusta é mais concentrado e com menos camadas de sabores. Já o tipo Arábica é mais suave e permite a degustação de mais nuances e combinações de sabores.

No mercado brasileiro comercializa-se praticamente apenas o tipo Arábica e suas múltiplas derivadas como café Gourmet, como os considerados especiais: Bourbon, Catuaí, Novo Mundo, entre outros. Já o café tradicional, daqueles disponíveis em supermercados, estes na sua maioria são blendados com Robusta,

Café tradicional x Cafés Especiais

Iremos abordar o tema café tradicional x cafés especiais em outro artigo. Afinal, esse assunto rende uma ótima conversa. Mas, cabe aqui um brevíssimo comentário. Pois os cafés tradicionais, aqueles de marcas renomadas vendidas nos supermercados, passam longe dos grãos especiais.

Embora as tais marcas estejam atentas ao novo consumidor, mais exigente e apreciador de bons tipos de cafés. Agora é possível encontrar tanto o produto em grãos para moagem caseira, como tipos de grãos de cafés especiais já moídos.

No entanto, preste atenção. Por mais que os fornecedores possam ser de sua confiança, o café tem o seu próprio tempo de consumo e manuseio. Assim, quando produzido, e principalmente embalado e comercializado em larga escala, a validade de suas propriedades ficam questionáveis.

Variações de tipos de grãos de cafés

Quando se fala em tipos de grãos de café, é aquela história: existem dois. Porém, quando falamos em variações dos tipos de grãos… aí uma nova gama de sabores e aromas se abre.

Dá até aquela sensação de chegar à fazenda e ir se encantando. Isso porque já no pé as cores das cerejas do café são diferentes. Seja quanto à cor, doçura, acidez e outras características de cada planta. É tão lindo de ver!

É aqui que a brincadeira da mutação genética da planta, seja natural ou de laboratório, acontece. O Brasil, por conta da sua variedade geológica e climática, oferece um verdadeiro universo de possibilidades.

Tanto que os produtores de cafés especiais, quando participam de campeonatos, nacionais ou internacionais, precisam colocar a localização geográfica da plantação. As coordenadas geológicas mesmo, em termos de latitude e longitude, bem como o ano de produção.

Pois tudo interfere na qualidade da bebida que chega à xícara. Tem como não se apaixonar pelo tema?

Leia Também: Barista: Qual sua importância para a qualidade do café?

Vamos às variações dos tipos de grãos de café…

As variações mais comuns dos tipos de grãos de café que dispomos na região Sudeste, que é onde estão localizadas as plantações da Suprema Arábica, são:

– Bourbon Amarelo:

Como o nome já adianta, a cereja do café é amarelada e está pronta para a colheita quando madura. De textura clara, o sabor é leve e frutado. Melhor companhia para qualquer hora do dia.

– Bourbon Vermelho:

Possui a cereja avermelhada e a textura clara. O sabor é doce e frutado, levemente achocolatado.

– Catuaí Amarelo:

Na planta a cereja do café é menos sensível que a variação Bourbon e também deve ser colhida quando madura para maior aproveitamento das propriedades. A coloração leve e pouco encorpada engana. Pois é uma bebida de personalidade por conta da acidez e um toque de caramelo. O tipo de bebida para o pós-almoço ou para o final da tarde.

– Catuaí Vermelho:

Variação do catuaí amarelo. O catuaí vermelho ressalta e acentua as características do amarelado. É levemente mais encorpado, com sabor marcante.

– Novo Mundo:

Entre os cafeicultores é considera uma planta rústica, de fácil adaptação climática. Essa variação é a preferida para exportação. Sabe por quê? 

Pensa num café cheiroso! Dentre os tipos de grãos de cafés do sudeste, quando torrado e moído, esse é impossível não gostar e querer servir-se de um golinho que seja. Quanto ao corpo da bebida é médio, bem como sua acidez. Tem notas de caramelo e chocolate.

Para que você tenha a sua própria percepção dos sabores, convidamos você a conhecer os produtos que temos à disposição.