Posted on

Café em grãos gourmet: Por que os seus clientes vão se apaixonar por esse sabor?

grãos de café gourmet

Há certo tempo, café em grãos gourmet era coisa apenas de cafeteria refinada. Agora você pode oferecer esse mesmo tipo de sofisticação para os seus clientes. Tenha certeza que esse não será apenas mais um detalhe em seu serviço.

Café em grãos gourmet deixou de ser apenas um produto de cafeteira refinada. O mercado está crescendo e produtos muito interessantes ficaram acessíveis aos mais diferentes comércios, serviços e escritórios.

A grande sacada é que o café não deixou de ser um produto clássico. Consumido por todas as classes econômicas, ninguém deixa de sorver sua xícara todos os dias. De forma que beber um cafezinho é uma prática diária.

A diferença está no tipo de café que é servido. Sabemos que o café tradicional é inferior em termos de qualidade. E isso não importa a marca ou o tipo de torrefação.

De forma que quem prova café em grãos gourmet sente uma diferença absurda! Porque quando o grão é moído na hora e está livre de diversas impurezas, tem-se a certeza de estar consumindo outro tipo de bebida. 

Café em grãos gourmet é livre de impurezas

E a verdade é que está mesmo consumindo outra categoria de bebida. Infelizmente. Porque os cafés tradicionais, quando são torrados e moídos, recebem todos os tipos de grãos e as vezes, até impurezas que vieram da colheita.

Isso quer dizer que no pacotão podem estar: folhas, galhos, grãos verdes, grãos ligeiramente passados e, às vezes, alguns insumos químicos orgânicos cuja baixa dosagem pode não ser identificada em processos de análises.

Nenhum desses ingredientes faz mal à saúde. Mas nenhum deles é café de qualidade.

Já o café gourmet é considerado especial porque é, simplesmente, café ideal para consumo. O grão é colhido enquanto a cereja está madura, bonita e cheirosa. No ponto.

Dessa forma, quando o cliente escolhe por um café em grãos gourmet o que ele está consumindo é um café diferenciado perante a média do mercado.

Leia mais: Por que o café Supremo Arábica é a melhor opção para os seus clientes?

A ciência por trás do café em grãos gourmet

Uma questão bacana de dizer é que café hoje em dia também é ciência. A EMBRAPA, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, é pioneira no país em promover melhorias e variedades de tipos de café.

Ou seja, praticamente todo café consumido no Brasil – e no mundo – já deve ter passado por alguma mudança genética. Então, antes mesmo do café ser plantado e a planta cultivada, a semente já sabe a que veio.

A intenção das entidades de pesquisa é promover sementes mais seguras para a produção, mais resistentes a pragas e de floradas com menos desperdício. Contudo, de nada adianta se o produto final for apenas mediano.

Por isso que o café em grãos gourmet é uma ciência. Constantemente são pesquisados os melhores aromas, as combinações de sabores, as propriedades medicinais e fitoterápicas, entre tantas outras propriedades do mágico grão.

Quando começa o processo de produção do café em grãos gourmet?

Uma vez plantada, a semente leva um tempinho para começar a crescer, florescer e produzir. Uma vez que as primeiras flores da cereja do café apareçam, o trabalho tanto de cafeicultores como o de baristas têm início.

Algumas variações do tipo de café promovem o amadurecimento irregular dos frutos. E isso é uma função inteligente da planta. Pois pensando nos animais, como pássaros, que dela se alimentam, nem todos os grãos serão consumidos.

Assim, os animais podem se alimentar e os humanos colherem os frutos maduros que sobrarem conforme seu interesse. Esse é o exemplo de uma produção ecologicamente sustentável, onde todas as cadeias são respeitadas.

A sabedoria caipira diz que quando o passarinho come, está pronto para colher. E as cerejas que estiverem ainda verdes serão deixadas no pé até amadurecerem. Essa forma de observação e aproveitamento da planta colabora para diminuir o desperdício.

Processos de colheita do café em grãos gourmet

Basicamente existem dois tipos de colheita: automática e manual. E cada uma delas tem um impacto diferente na cadeia produtiva, embora na xícara isso nem sempre transpareça.

É que a colheita automática é feita por maquinário. Dessa forma não pode separar nessa etapa os grãos verdes, no ponto e maduros demais, essa separação será feita por outro maquinário antes de ir para o terreiro ou secador, minimizando a possibilidade de uma produção sustentável saudável, pois haverá descarte.

Já a colheita manual é mais demorada, artesanal, feita um a um. Porém é certeira e ecologicamente adequada.

Independente da forma com que o grão de café gourmet foi colhido, no caso dos produtos Supremo Arábica, a etapa que antecede a torra é eletrônica devido ao rigor quanto à qualidade. Algumas empresas também ofertam o grão verde, que é uma etapa antes da torra.

Torra dos grãos de café gourmet

A etapa seguinte é a torra dos grãos de café gourmet antes de serem embalados. Essa fase é a mais aromática, pois é nesse processo que o grão libera todas as suas propriedades. O perfume é apenas um dos indicadores.

Assim, quando o grão entra no torrador e se inicia o processo de aquecimento é preciso habilidade e conhecimento. Tanto do torrador, da técnica como do grão.

Alguns grãos de café gourmet têm pontos de torra ligeiramente diferentes de outros. Por isso que não se coloca na mesma fornada grãos do Bourbon com Novo Mundo, por exemplo.

Ciente de todo o processo delicado que antecede a xícara do seu cliente, a Supremo Arábica segue um alto padrão de qualidade. Venha tomar um café conosco e sinta a diferença que você pode oferecer no seu estabelecimento.