Posted on

Café da Supremo Arábica x Café Convencional

Cafe-da-Supremo-Arabica

Quem já se deparou com essa questão: “Por que café gourmet é tão diferente do café convencional”? É porque já sorveu uma boa xícara de um produto de qualidade, como os ofertados pela Supremo Arábica. Pois as diferenças ultrapassam o senso comum.

Porque, infelizmente, durante um bom tempo se vendeu para a maioria da população uma forma menos saborosa de apreciar o café.

Essa foi a brecha principal por onde o mercado de cafés gourmet, esse em que a Supremo Arábica acredita, aproveitou para crescer. A segunda oportunidade foi através da melhoria de processos de produção, desde a semente até a xícara do seu cliente.

Pois o trabalho da Supremo é oferecer produtos e maquinários para o seu estabelecimento, independentemente do tamanho dele. Do escritório à indústria. Do pequeno comércio à rede varejista. Do bar à cadeia de restaurante. Todos gostam de uma boa xícara de café.

Café Supremo Arábica x Café Convencional

O café por si só é um produto enraizado na cultura brasileira. Quem recusar uma xicrinha de café da vó ou da tia está fazendo uma desfeita daquelas! E isso acontece porque café não é só café.

É a desculpa perfeita para um momento de prazer. Seja em família, no escritório ou para encontrar queridos amigos. Então, esses minutos devem ser realmente apreciados, não é mesmo? Porque são reais e verdadeiros.

Para ter certeza de que você oferecerá o melhor café aos seus clientes, procure por cafés em grãos a serem moídos na hora. Com as facilidades de pequenos moedores, ou máquinas de café com o processo de moagem, não tem como errar. E a Supremo oferece tanto o maquinário, como o café, para melhor atender você e seus clientes.

Essencialmente o que difere um café gourmet de um café convencional é o próprio café. Enquanto uma embalagem de café gourmet você encontra 100% de grãos do produto, num saco de café convencional você pode encontrar diversas partes da planta do café torradas e moídas junto.

Fato que os galhos, folhas, frutos verdes ou passados que foram processados e embalados juntos com alguns poucos grãos em boas condições de consumo, não fazem mal à saúde. A questão é que por muitos anos foi, e ainda é, vendido como café de qualidade. Mas de fato não é.


Fatos x Mitos

O café brasileiro é de fato um produto mundialmente apreciado. Pela qualidade do produto e pela capacidade de produção que o país desenvolveu nesses quase 100 anos de atividade.

Durante um tempo acreditou-se que os melhores grãos eram exportados, ficando para o mercado interno os inferiores. Sim e não. A grande indústria que tem como interesse principal a geração de lucro vai atrás de quem e onde pagar mais. Dólar, euro e libra.

Porém os pequenos cafeicultores sempre existiram. E esses mantiveram suas produções locais, atendendo as demandas regionais e os consumidores mais exigentes.

Consumidores esses que também foram crescendo, em número de pessoas e regiões de residência, resgatando nos centros urbanos aquela tradição do café bom de verdade. Aquele da família do interior, que tinha o pé de café no quintal de casa para consumo próprio.

Em paralelo, a ciência também caminhou. Melhorando e ampliando as variedades dos tipos de café. Dessa forma facilitou o acesso de um produto considerado de exportação para a xícara do dia a dia.

Infelizmente o que se vê ainda nos supermercados é um comércio de café baseado na quantidade. Ou seja, para atender muitos consumidores por um preço menos competitivo, as indústrias vendem não apenas cafés torrados e moídos.

Quanto maior for o grau da torra, como extraforte, mais difícil vai ser a percepção no paladar do que está sendo consumido. Pois o amargor do queimado sobressai. Quanto ao processo de moagem, quanto mais fina, mais difícil de identificar visualmente ou no tato as impurezas.

Por essas questões que os especialistas em café falam sempre: café de qualidade é o café em grãos.

Leia mais: Por que o café Supremo Arábica é a melhor opção para os seus clientes?

O que caiu por terra

Depois de décadas ouvindo nos comerciais de TV que café bom é aquele café forte e encorpado, é tempo de reaprendermos o que é um café bom de verdade.

– Café claro é “chá-fé”

Não é mesmo! Existem variedades de tipos de café, como o Bourbon Amarelo, que é mais claro, mas nem por isso menos saboroso ou menos aromático. Fuja desse papinho que café claro é café fraco.

– Café moído dura mais.

Mentira, dura menos! Quanto mais tempo o café moído, mais contato o produto vai tendo com o ar e por consequência oxida, perdendo suas propriedades.


– Café espresso é melhor.

Depende, pois é uma questão de preferência de paladar. Em termos de propriedades, o café expresso passa por uma extração através de intensa pressão liberando aromas e sabores bem fortes. Mas há quem prefira os coados, na verdade a maioria da população, pois as camadas de sabores ficam mais soltas e rendem mais na xícara.

Caso esteja interessado em café, maquinário ou outros insumos para o seu escritório ou comércio, entre em contato conosco da Supremo Arábica.