Posted on

Quais são os tipos de café?

Será que existem tipos de cafés ideais para cada momento da nossa vida? Pesquisamos e descobrimos que não há regra, mas há preferências. Vamos a elas?

Por curiosidade, você algum dia já teve a oportunidade de observar o arbusto do café? Talvez você também fique tão curioso quanto nós, como foi que alguém teve a brilhante ideia de torrar a “semente” daquela frutinha vermelha. Como se chegou à conclusão de que aquele grão, torrado e moído se tornaria uma bebida tão cheia de encantos e que hoje poderíamos desfrutar de vários tipos de café?

Mas se você acha que neste artigo vamos falar disso, engana-se. Afinal, seria fantástica essa investigação arqueológica entre sabores, livros e viagens. Porém, não faria tanta diferença já que podemos saborear nosso líquido sagrado de várias formas. Isso sim tem relevância para nós agora. Que tal pegar aquela sua xícara deliciosa para continuarmos essa conversa?

Café Espresso

O café espresso é a forma mais pura de se consumir o grão e receber aquele “punch” de energia que a bebida oferece ao nosso cérebro.

Por isso mesmo é a cara dos executivos! Homens e mulheres de negócios estão sempre com uma xícara ao lado. De manhã até à noite. Esse hábito estimula as sinapses e acredita-se que faz com que pensemos melhor. Isso também ocorre para estudantes. No entanto, o consumo exagerado pode ter suas consequências.

Assim sendo, fica a dica: Café é tudo de bom, mas com moderação. Então, prove também os outros tipos de café ao longo dos momentos que a vida lhe propuser. Garantimos que serão tão saborosos quanto!

Café Espresso – uma receita à brasileira

Certamente você já foi a algum restaurante ou cafeteria e pediu um café espresso. Mas esse veio diferente ao que você esperava. De comum, a bebida quente escura e amarga com a espuminha cremosa típica do grão. Até aí, tudo bem.

A receita brasileira, serve cerca de 50 a 70 ml, ficando encorpado. Já o espresso italiano, ou conhecido também como tradicional, serve apenas 35ml ou apenas 15 ml na opção “ristreto” Agora, o café espresso americano, depois de feito em modo tradicional, é acrescentado um pouco de água quente e por isso seu sabor, para nós, é um tanto estranho.

Café com leite

Sem dúvida outra composição universal é o café com leite. Tudo bem que cada lugar no mundo por uma questão de acesso aos ingredientes da bebida, ou pela cultura, tem uma forma de degustar.

Por exemplo, logo de manhã, ao acordar ainda respirando um ar mais fresco, saborear um café com leite encorpado, não leva você a imaginar um momento no campo? Talvez essa união dos elementos campestres só precise de um pão quentinho com manteiga derretendo para ser perfeito, não acha?

Aqui levantamos que pessoas que vêm de família do interior, que tiveram ou ainda nutrem o contato com a natureza, têm esse hábito. Inclusive, que se repete ao café da tarde. Enquanto os ingleses misturam chá e leite, aqui não abrimos mão do nosso café!

Cappuccino

Aliás, se queremos conversar sobre variedades de tipos de café, o cappuccino valeria um artigo próprio. Sério. Além da sua história saborosíssima, vinda dos mosteiros franciscanos no sul da Itália, até hoje há sempre alguém fazendo uma releitura dessa bebida.

De certa forma, estabeleceu-se no universo barista que o cappuccino, terceiro mais pedido entre os tipos de cafés entre os brasileiros, é composto por: 30% de café, 30% de leite vaporizado e 30% de espuma de leite. Por cima, acrescenta-se chocolate em pó e/ ou canela polvilhados.

Pensa bem se uma xícara grande de cappuccino, dessas bem generosas, não é companhia perfeita para uma tarde de leitura no outono ou inverno? Temos certeza que até no cobertorzinho você já pensou. Pois é, somos humanos colega. A gente entende.

Voltando à receita do “Cappuccis”, afinal já somos amigos e podemos usar apelidos. Ao monge Marco D´Aviano é dada a autoria da criação, cuja receita original era café do tipo arábica, com leite integral e mel. Cá entre nós, talvez ele fosse daqueles monges gente boa que gostava de uma boa mesa.

Isso porque lá pela Idade Média, nos idos de 1683 quando a bebida foi citada pela primeira vez, os estudiosos franciscanos da ordem dos Capuchinos (chapéu) tiveram acesso às sacas e mais sacas do produto, deixadas numa provável recua da invasão islâmica ao continente europeu. Como se sabe, desperdiçar comida é pecado, então o jeito foi descobrir outras formas de consumir o produto. E pronto! Bastou colocar um doce para ficar inesquecível.

Leia também: Café em grãos ou moído: definindo preferências

Capuccino com chocolate

Entretanto algumas verdades às vezes doem no coração. Não pertence a lista dos tipos de café acrescentar chocolate a bebida como parte da receita original. Sim, choremos.  Afinal cappuccino com chocolate é muito mais gostoso. Com chantilly ainda? Calma, que salivamos aqui.

Prontinho, nova xícara abastecida. Essa mistura de café, leite e chocolate em pó é vista só no Brasil como cappuccino. Mas se você é fã dos tipos mais doces de café, a próxima dica é o Mocha.

Mocha ou Mochaccino

Já que café e história tem uma profunda relação, vale contar algumas curiosidades. Lá pelos séculos XV e XVII o porto de Moca foi dos mais importantes na região do Iêmen. Claro, adivinhem a bebida preferida? Então, o grão típico da região era um tanto mais adocicado, que lembrava ao cacau recentemente descoberto no México, graças as grandes navegações.

Daí o tempo, algumas coisas mudaram e no menu dos tipos de café acrescentou-se o mocha e o mochaccino, que são receitas diferentes variando os mesmos produtos. Veja:

Mocha: Feito com café, leite e chocolate. Em alguns lugares a bebida segue com calda de chocolate ou chocolate meio amargo derretido, conforme a criatividade do barista.

Então, se você vai encontrar alguém de forma descompromissada, como colegas no shopping essa pode ser uma boa pedida. Algo doce e descontraído, mas ainda assim respeitoso e interessado.

Mochaccino: Como o próprio nome sugere, traz a receita do cappuccino original (café, leite e espuma de leite) acrescentando a calda de chocolate ou chocolate derretido.

Embora não tenha uma literatura regrada quanto essas duas últimas receitas, a grosso modo, as variantes ficam mesmo na proporção dos ingredientes. Ambas devem ser servidas bem quentinhas.

E foi assim, proseando, de forma totalmente descompromissada, que levantamos as principais combinações entre situações e tipos de café. Você concorda com as nossas sugestões? Comente aqui!