Posted on

Máquina de Fazer Café: Como escolher a melhor?

Você tem um espaço comercial e deseja colocar uma máquina de fazer café para agradar a equipe e clientes. Maravilha! Mas o que você precisa levar em conta no momento da escolha?

O brasileiro é fã de café. Um sinal de boas-vindas para agradar clientes, colegas ou parceiros é ter à disposição um café bem fresquinho. Mas, antes de escolher a máquina de fazer café que atenda às necessidades do seu negócio, estude as opções do mercado.

Claro que quando um empreendedor ou empresário investe em um negócio ele faz um estudo entre custo x benefício. Que deve mesmo ser feito. Porém, nem só a análise financeira deve ser levada em conta.

Isso porque o mercado oferece várias opções de máquina de fazer café para cada tipo de necessidade e se você se basear pelo fator custo, pode se decepcionar com o resultado. Bem como seus clientes.

Qual a melhor máquina de fazer café para o seu negócio?

Antes de começar a pesquisa, avalie quais as necessidades e disponibilidades do seu negócio. Os itens mais importantes são:

– Quem são as pessoas que vão preparar o café?

O bacana de delegar a uma pessoa, ou mais de uma, a responsabilidade de cuidar da máquina de fazer café é saber que alguém estará zelando pelo investimento. Ou seja, essa pessoa saberá melhor do que ninguém da sua equipe a manusear, limpar e controlar os suprimentos.

Assim, quanto mais especialista for a pessoa quanto ao produto a ser servido, nesse caso um barista, melhor ainda será a qualidade da bebida. Mas, se não é o caso do seu negócio, tudo bem. Há opções de máquinas menos especializadas, mas ainda muito atrativas, que podem atender bem o que você precisa.

– Quem são as pessoas que irão consumir o café? Qual o volume a ser servido?

Essa é uma reflexão interessante. A máquina deve dar conta de atender quantas xícaras por minuto? Oferecer quantas opções de preparo? Entre outros detalhes, se você for servir e comercializar café. 

Como é o caso de cafeterias, padarias, cozinha de hotel, entre outros, em que é aconselhável também contar com a mão de obra especializada de um barista. Pois o público que vier ao seu estabelecimento estará procurando algo diferenciado, uma bebida mais sofisticada.

Mas, se você atende uma demanda menos exigente, mais corriqueira e numa escala menor de xícaras por dia, visando lucro com o comércio das xícaras de café, talvez opções semiprofissionais sejam interessantes. É o caso de pousadas, restaurantes ou buffet de festas.

 – Qual o espaço disponível para colocar a máquina?

Esse critério é muito relevante. Pois em alguns estabelecimentos, dependendo do seu negócio, a presença de um determinado tipo de máquina de fazer café é uma vitrine! Ainda que os clientes sejam leigos, a imagem vende.

Assim, procure analisar se a presença da máquina pode ser um elemento comercial favorável a você. Bem como o contrário é verdadeiro. Se o perfil do seu cliente for exigente, talvez o uso de máquinas de cápsulas possa decepcionar.

Mas, se o seu negócio não tem no café um elemento de peso, uma máquina pequena pode ficar até escondida, ou alocada num espaço de menor destaque, que ainda vai atender as necessidades dos clientes e parceiros.

– Qual o orçamento destinado?

Lembre-se que além da máquina, seja comprada ou alugada, haverá os suprimentos. Esse é um deslize comum, inclusive. Considerar apenas o valor da máquina de fazer café e ignorar os custos indiretos pode representar um susto no fluxo de caixa mal preparado.

Por isso que as perguntas anteriores precisam ser respondidas antes de chegarmos aos valores.

Quais são os tipos de máquina de fazer café?

– Máquina de fazer café em cápsula:

Ideal para os negócios em que o café é apenas um detalhe a mais. Como escritórios ou consultórios. Pois o próprio cliente pode se servir da bebida sem precisar de mão de obra especializada.

Também tem a facilidade da variedade de opções em formato pré-estabelecido, que vai de chás aos cafés especiais. Além do sistema de limpeza e de manutenção serem igualmente simples.

– Máquina de fazer café super automática:

A união do bom com o prático. Possui sistema de moinho integrado, precisando apenas de um clique para ser acionado. A vantagem é que sua operação também é simples e possibilita oferecer aos clientes cafés frescos e saborosos, com a moagem dos grãos na hora.

Leia também: Blend do café: O que é isso?

– Máquina de fazer café semiautomática:

Essa opção começa a dar ao barista possibilidades de oferecer cafés com mais requinte. Embora algumas funções da máquina sejam automáticas, outras são reguláveis conforme a vontade do especialista. Com maior contato e controle quanto à preparação da bebida, as variedades aumentam e os clientes agradecem.

– Máquina de fazer café profissional:

 Porém aquelas que oferecem uma bebida realmente especial são as máquinas profissionais. E é aconselhável que tenha um barista à frente dela para extrair o melhor do seu investimento.

Além do seu manuseio mais refinado, pois o barista tem acesso a todas as etapas do preparo, os valores também correspondem aos benefícios oferecidos. Especialmente quanto à qualidade e variedade dos tipos de café que podem ser servidos.

Uma boa máquina é certeza de satisfação do cliente?

Agradar aos clientes é uma ciência que requer pesquisa e intimidade, pois cada pessoa é uma pessoa. Mas à medida que cresce as possibilidades de agradá-lo, aumentam as chances de acertar. Começando com a escolha de bons cafés especiais.

Pois de nada adianta um investimento numa máquina fabulosa se os grãos de café forem de baixa qualidade. Não há equipamento que extraia uma crema generosa de um grão passado, ou um sabor adocicado de um grão queimado.

Da mesma forma que o cliente não irá sorver o melhor do produto, por mais especial que seja o grão, se esse for preparado muito depois da moagem através das cápsulas. Ou preparado de forma inadequada conforme a sua variedade. Itens que um bom barista saberá explorar.