Posted on

Café em grãos ou moído: definindo preferências

Café em grãos

Café em grãos, moído na hora, já não é algo tão incomum assim. Antigamente, talvez fosse algo próximo ao produtor ou locais especiais. Hoje já há um considerável sortimento de ferramentas e maquinários que possibilitam aos apreciadores de café degustar uma xícara da bebida de melhor qualidade. Mas será que o café em pó tem seus dias contados? Provavelmente não.

Isso porque uma coisa é saborear o café, outra é beber como hábito. Sendo assim, há mercado para todos e produtos, todos os gostos e sabores. De fato, não existe problema algum em nenhuma das alternativas. O hábito é realmente algo forte, que nos faz consumir o café de coador até como um traço cultural.

Já a experiência de saborear o café, não é algo novo, porém, é uma experiência que está ganhando mais espaço. Porque realmente era algo bem pouco comum à disposição de máquinas que moessem grãos na hora. A tecnologia tem aproximado o gosto e qualidade da praticidade.

Consumir café em grãos tem várias vantagens. De primeira é a pureza do produto, pois já que o grão está sendo moído na hora, você sabe que não irá consumir por acaso impurezas como serragem, casca ou outros. Mas que tal aprofundarmos essa conversa? Pegue sua xícara e vamos nos deliciar nessa prosa.

Café moído

Esse é o tipo mais consumido no mundo, afinal, está à disposição dos consumidores desde os hipermercados até as quitandas. Se o comércio vender alimento, venderá café moído. Pronto. E de tão pronto está, que só perde para o café solúvel.

De qualquer forma, o café moído nada mais é do que o grão que já passou pela moagem. Porém, há diferentes graus de moagem. Alguns supermercados oferecem granulações diferentes, o que já é um avanço.

De modo geral os cafés moídos seguem um padrão de moagem mais adequado à infusão coada. Esse padrão é o médio ou médio grosso, portanto, esse que estamos habituados a consumir em casa. Para os estabelecimentos comerciais, graças às máquinas que moem na hora, há outras variações e por isso o sabor é diferenciado.

Café em grãos

Entre os tipos de grãos disponíveis, o café “Arábica” é o mais consumido no mundo. Além de ser este o cultivado na América do Sul, especialmente o Brasil, o maior exportador do produto. Essa qualidade possui menos cafeína e um sortimento maior de blends, daí a preferência. A partir desse tipo, iremos encontrar diferentes grãos. Conheça alguns exemplos:

– Café Acaiá

– Café Bourbon

– Café Catuaí

– Café Kona

Café em grãos moído na hora

Com certeza a tecnologia tem ajudado bastante nesse processo de melhoria do paladar. Não só porque permite que tenhamos melhores ferramentas para manusear os alimentos, como também para prepará-los. De moedores domésticos aos comerciais, passando por diversos tipos de maquinário que moem o grão diretamente.

Mas afinal, porque esse mercado é interessante? Porque o café moído na hora apresenta além do sabor e delicioso aroma, mais benefícios à saúde. Quando em grão, os benefícios do café estão armazenados. Porém, uma vez moído a sua proteção natural é quebrada e com a mistura com o ar, o produto começa a oxidar.

Pesquisas indicam que após a moagem, o produto preserva seus benefícios praticamente intactos por cerca de 20 minutos, depois que a oxidação começa a ocorrer.

Agora, para os apaixonados por café, como nós, o aroma é um grande prazer. E o aroma começa a partir da moagem do café em grãos. O ambiente já começa a ficar diferente e quando o pó mágico começa seu trabalho de infusão com a água quente, parece que uma mágica acontece. O perfume se espalha. (Nossa, até salivei!)

Além disso, o sabor é outro, convenhamos. Fresco, natural, sensação de passeio no campo. Agora, uma dica preciosa: Use água filtrada e não de torneira que passa por processos químicos e modifica as propriedades da bebida. Isso porque o cloro quebra as moléculas do café, interferindo tanto no aroma como no gosto e retrogosto.

Tipos de moagem

Primeiro é importante falarmos das diferentes formas de moagem. Que vai do moedor manual ao digital, passando pelo automático. 

– Moedores manuais: São de discos giratórios acionados por manivela. Tanto aquele da bisa, como os delicados que mais parecem de decoração.

– Máquinas expressas: Normalmente acionadas de forma digital e moagem automática. Processo por lâminas. Cada máquina varia o tipo de lâmina, de acordo com as possíveis granulações do café.

E já que estamos falando de granulações, os baristas são especialistas em tirar o melhor proveito desse item que aos leigos parece um detalhe. Mas que faz toda a diferença na degustação de um bom café.

– Grosso: Usado em cafeteiras do tipo italianas. Partículas do grão bem sensíveis ao toque.

– Médio: Usado em coadores de papel ou em máquinas de espresso. Parece uma areia grossa.

– Fino: Usado em cafeteiras com filtro. Ao toque parece uma areia fina.

Extrafino: Também usado em cafeteiras com filtro ou Aeropress. Ao observarmos ainda notamos seus grãos, embora a textura seja bem suave.

Árabe ou turco: Modo de preparo diferenciado, ainda não disponível em máquina. Os grãos são tão fininhos que se assemelham a granulação da farinha.

Leia também: 10 Curiosidades sobre o café

Cuidados de armazenagem

Café em grãos ou café moído, o importante é ter sempre o produto à disposição dos clientes no seu comércio ou escritório. De forma que dicas de armazenamento são muito bem-vindas, certo? Vamos a elas:

– O café em grãos mantém suas propriedades por um bom tempo. Enquanto o produto estiver armazenado em pote fechado em local seco, arejado, limpo, com pouca luz e distante de elementos contaminantes, mais tempo você poderá conservar o produto.

– Ao contrário do que muita gente faz, evite guardá-lo em geladeira mesmo depois de aberto, pois, a umidade colabora para a degeneração do café prejudicando o aspecto, coloração, sabor e aroma do produto. Em último caso, ainda há de ter cuidado com fungos.

– Procure armazenar o café sem potes escuros, seja em grãos ou moído. Pois a luz é um elemento que também altera as propriedades do produto.

– Caso seja possível opte por embalagens pequenas de café, para que seja consumido em pouco tempo sem perder as propriedades naturais.

 – Por mais que o espaço no seu comércio ou escritório seja pequeno, organize seu armário de forma que o café fique distante de produtos de limpeza e higiene. Esses produtos “cheirosos” podem ser considerados elementos contaminantes, tanto em sabor quanto de aroma, prejudicando não só no armazenamento, como também no consumo, da nossa bebida preferida.